Variedades raras - Diluídos

Autor: Ghalib Al Nasser

Publicação: 01-12-2017

A primeira variedade de periquitos que surgiu na natureza entre os periquitos verdes foi o amarelo. Existem relatos que foram observados periquitos amarelos num bando de periquitos verdes no ano de 1872. Na mesma época, outras mutações de amarelos ocorreram na Bélgica e, alguns anos mais tarde, na Alemanha. A primeira mutação de cor a estabelecer-se, para além do verde-claro, foi o amarelo e durante muitos anos foi uma variedade muito popular.

Posteriormente, no final da década de 1870, observou-se o primeiro periquito azul-claro e daí em diante muitas outras variedades desenvolveram-se por mutação ou por combinação de mutações. Por se tratar da primeira mutação de periquitos a estabelecer-se, a variedade amarelo alcançou o seu auge no início do século passado. Há relatos de que os primeiros periquitos amarelos criados na Grã-Bretanha foram criados em 1884 pelo Sr. Joseph Abrahams de Londres. Tratava-se de um casal de pássaros proveniente da Bélgica. Dois anos mais tarde, periquitos amarelos foram exibidos em Londres pela primeira vez por intermédio do criador Sr. Swaysland de Londres. Os periquitos amarelos que foram criados e exibidos naquela época, correspondem ao que hoje chamamos Normal Amarelo Claro. Um dos pioneiros desta mutação no Reino Unido foi o criador R. J. Watts, que foi um membro fundador do clube “The Budgerigar Club” (agora designado por “Budgerigar Society”) em 1925, tendo sido presidente nos anos de 1938 a 1940.

Por sua vez, os periquitos normais brancos não apareceram antes do ano de 1920, não tendo ocorrido por mutação mas sim por combinação de cores. Tal como para a variedade amarela, os criadores foram capazes de verificar que a mutação é controlada por um gene recessivo.

O termo "diluído" foi dado aos periquitos normais amarelos e brancos para fácil referência, em particular por causa da diluição da cor das penas. O normal amarelo é um periquito de cor verde com redução da quantidade de grânulos de melanina (pigmento de cor) presentes na pena. Esta redução da intensidade de cor é superior à encontrada na mutação asas cinzentas, que é cerca de metade da profundidade da cor encontrada nas variedades normais. Por outro lado, o branco é um periquito de cor azul com uma diminuição do pigmento de cor e desenvolve-se de forma semelhante que os amarelos.

A variedade Diluído tem sido admirada por muitos criadores em todo o mundo e aves de boa qualidade (amarelos ou brancos) têm tido bastante procura. Foram criados bons exemplares ao longo dos tempos, tendo ganho prémios importantes em exposições em todo o mundo. No Reino Unido a memorável vitória com esta variedade foi alcançada na exposição da Budgerigar Spciety em 1985, por intermédio de um jovem macho Normal Branco Cinzento do criador R. W. & Nattrass, tendo ganho o prémio principal.

Esta variedade é igualmente utilizada por criadores de outras variedades mais específicas. Por exemplo, criadores de periquitos ino e asas claras usam o fator diluído para melhorar as referidas variedades adicionando tamanho, cor e textura de penas.

Interessa referir que existem três tipos de periquitos normal amarelo e dois tipos de branco. O simples facto de se designar os diferentes tipos por diluídos pode confundir o criador que pretenda procriar esta variedade. No entanto, é importante conhecer as diferenças entre eles:

• Existe o amarelo claro, que foi muito popular, mas que por qualquer razão parece ter desaparecido do Reino Unido. O amarelo claro tem cor de corpo amarelo intenso. Algumas variantes do amarelo claro são o Normal Amarelo Escuro e Normal Amarelo Azeitona, que apresentam uma intensidade de cor mais escura. Independentemente da cor, as manchas gulares são de cor branca prateada e as pérolas da máscara são ausentes;

• Uma outra variedade que se desenvolveu ao longo dos anos, quando os periquitos verdes foram cruzados com os amarelos foram os amarelos diluídos. Pelo seu nome compreende-se que se trata de uma variedade onde a cor amarela apresenta-se diluída com o verde (claro, escuro ou verde-oliva) e a intensidade desta diluição pode variar de mínima a quase 50% da cor normal do corpo. Eles diferem dos normais amarelos claros, principalmente pela cor das machas gulares, que são azul pálido a violeta pálido;

• O terceiro tipo de amarelo é o Normal Amarelo Cinzento que tem um modificador de cor cinza presente que muda a cor do corpo para um amarelo menos intenso (cor de mostarda). Nesta variedade as manchas gulares são cinzentas pálidas. Cada um dos tipos acima de amarelo são facilmente identificáveis pela cor do corpo e pelas manchas gulares.

Por sua vez, nos brancos existem em dois tipos:

• os diluídos e

• os Brancos Cinzentos.

Ambas as descrições acima podem ser aplicadas ao branco. A cor do corpo do branco diluído pode estar diluindo a cor azul celeste, cobalto, malva ou violeta. Os criadores ao longo dos anos têm adicionado intencionalmente as variedades opalino e canela aos diluídos e têm-se obtido alguns pássaros magníficos.

Nem sempre é fácil de explicar o motivo pela qual uma variedade desaparece, mas no caso do amarelo claro a única explicação possível é que eles eram pequenos quando comparados com os amarelos diluídos ou amarelos cinzentos. Eu vi muitos exemplos de periquitos amarelos claros na minha viagem à Austrália em 1994. Os australianos referem-se a eles como os amarelos de olhos pretos.

Tal como anteriormente referido, os diluídos são uma variedade recessiva e as leis de reprodução das variedades recessivas estão bem documentadas. Existem três cruzamentos que podem produzir periquitos diluídos visuais, designadamente:

• Diluído com diluído irá produzir 100% de pássaros diluídos;

• Diluído com portador de diluído irá produzir 50% de periquitos diluídos;

• Por último, portador de diluído com portador de diluído, irá produzir cerca de 25% de periquitos diluídos visuais.

É fácil compreender a razão por que em certas ocasiões um diluído aparece no ninho proveniente de um casal onde nenhum dos pais é visualmente diluído. Esta herança recessiva pode ficar dormente por muitas gerações e só irá revelar-se quando se acasalam dois pássaros que transmitem este fator de forma escondida. Frequentemente, um periquito diluído produzido a partir de dois portadores é de boa qualidade, supondo que os pais são eles portadores dessa qualidade desejável. É conhecido que criadores que que compraram pássaros aos criadores Harry Bryan ou Alf Ormerod, obtiveram periquitos diluídos ou normais amarelos cinzento. Esta situação foi confirmada por mim em 1986, quando cruzei um macho verde cinzento criado por Harry Bryan com uma fêmea verde clara criada por Dennis Faulkner e, para minha surpresa, nasceu um bom periquito amarelo cinzento.

O diluído tem ainda uma relação estreita com duas outras variedades recessivas, ou seja, os normais asas cinzentas e os normais asas claras (asas amarelas e asas brancas). Mesmo que todas estas variedades sejam recessivas, os fatores asas cinzentas e asas claras são dominantes em relação aos diluídos. O cruzamento de um periquito asas cinzentas ou asas claras com um diluído irá produzir filhos asas cinzentas ou asas claras portadores de diluído. Por causa da qualidade habitualmente superior dos periquitos diluídos em relação aos normais asas claras, muitos criadores de asas claras consideram os diluídos uma ferramenta importante para o seu programa de criação.

Este site utiliza cookies com objetivo de melhorar a sua utilização. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização.