A mutação Antracite

Autor: José Paulo Correia

Publicação: 28-09-2017

Um Periquito Antracite tem a cor do corpo antracite escuro, quase preto. As zonas auriculares, nuca, pescoço e asas têm um desenho de cor preta orlada a branco. Os olhos são negros com íris branca, as manchas gulares são antracite escuro, as rémiges são pretas minimamente orladas a branco e as retrizes são pretas.

Esta variedade surgiu na Alemanha em 1998, tendo sido Hans Lenk um dos principais criadores que se dedicou a esta variedade. O standard da variedade foi estabelecido pela WBO em 2010.

Tal como acontece nas variedades violeta e ardósia, a variedade antracite só possui standard nas aves de série azul. Como existem aves verdes com o fator violeta também existem aves verdes com o fator antracite embora não tenham standard para estas conjunções de variedades.

É uma variedade dominante em que a cor antracite se manifesta nas aves de duplo fator. As aves de fator simples são visivelmente muito semelhantes aos azuis cobalto, sendo muito difícil distinguir uma ave azul cobalto de uma ave antracite de fator simples.

Cria antracite

Se na variedade violeta só existe standard para as aves da série azul com um fator escuro e com um ou dois fatores da variedade violeta, no caso dos antracite o standard só existe para as aves da série azul sem fator escuro e com dois fatores da variedade antracite, ou seja aves azuis celeste com duplo fator antracite.

Para se obterem aves de cor antracite é necessário que ambos os progenitores tenham um ou dois fatores antracite. Obtêm-se 25% de crias de cor antracite se ambos os pais forem antracite de fator simples, 50% de crias de cor antracite se um dos pais for antracite de fator simples e o outro de duplo fator antracite ou 100% de crias de cor antracite se ambos os progenitores foram antracite de fator duplo. No fundo é o mesmo processo para se obterem perolados de fator duplo. O problema está na dificuldade na identificação das aves antracite de fator simples ao contrário do que acontece com os perolados ou spangle de fator simples que são fáceis de identificar.

É preciso ter em conta que apesar de a cor antracite ser muito escura nada tem a ver com a mutação fator escuro que dá origem, na série azul, ao azul cobalto e ao azul malva. Geneticamente um antracite é um azul celeste com fator antracite. Pode ser que a ave fique mais escura se lhe juntarmos o duplo fator escuro ou o violeta mas a tentativa de juntar estes fatores pode levar à perca do fator antracite nas aves de fator simples por não as conseguirmos identificar.

Crias antracite canela

A cor antracite pode ser aliada a qualquer variedade como por exemplo o opalino, canela, arlequim ou perolados.

Tendo em conta a dificuldade de distinguir os azuis cobalto dos antracite de fator simples o melhoramento da variedade antracite só deve ser feito através do cruzamento com aves sem fator escuro, violeta ou cinzento. Esse melhoramento pode ser feito através de cruzamento de aves com um ou dois fatores antracite com aves normais ao longo de várias gerações. Ao cruzar antracites de fator simples ou duplo com azuis celeste, garante-se que toda as aves visivelmente azuis cobalto produzidos através destes acasalamentos são antracites de fator simples. Com registos fiáveis na criação e com este procedimento é possível, para além de não se perder a variedade, conseguir o melhoramento das aves com esta variedade.

Este site utiliza cookies com objetivo de melhorar a sua utilização. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização.