Como alimentar à mão? E quando?

Autor: Salvador Riambau Ramon

Publicação: 14-09-2017

Em primeiro lugar vamos analisar as razões pelas quais devemos alimentar um periquito à mão. Nunca o devemos fazer por capricho, somente quando se tornar estritamente necessário, como nos seguintes casos:

- No caso de os pais deixarem de dar de comer ao filhote;

- Por terem demasiados filhotes, e lhes queiramos dar uma pequena ajuda, administrando uma refeição por dia;

- Caso os pais morram ou fujam;

- Caso os filhotes corram o risco dos pais os atacarem.

Em todos estes casos e em outros semelhantes, e só se não tivermos disponíveis outros casais onde possamos colocar os filhotes. Mesmo que sejamos exímios a alimentar os filhotes, nunca conseguiremos fazer o papel de pais.

Por outro lado, um periquito para ser dócil não é necessário ser alimentado à mão, você pode domesticar um periquito sem o alimentar desde pequeno, nem o privar da companhia dos outros periquitos.

Como alimentar?

Seringas e agulhas para alimentar

Se apesar do que foi dito anteriormente ficarmos obrigados a alimentá-los, só o devemos fazer até que comam sozinhos. Se forem muito pequenos e não tivermos possibilidade de alimentá-los com o tamanho das agulhas disponíveis à venda no mercado para o efeito, só teremos a possibilidade de alimentá-los pelo seu “instinto de sobrevivência”. O “instinto de sobrevivência” é igual a qualquer outro recém-nascido, se lhe fornecermos a papa um pouco mais líquida, ele acabará por suga-la e encher o papo.

Caso a ave tenha pelo menos uma semana temos a opção de a alimentar com a ajuda de uma seringa pequena. Então deparamo-nos com outro problema, que é, como manter a ave quente. Normalmente um criador de periquitos não tem uma incubadora. Então podemos construir uma caixa onde aplicamos uma lâmpada para que se possam aquecer. Quando estas aves estão emplumadas elas mesmo se aquecem com as suas próprias penas ou, se estiveram junto de outras aves pequenas mas já emplumadas, aquecem-se umas às outras.

Passos a seguir

Papa de cria em pó

Papa de cria acabada de preparar

Papa de cria acabada de preparar

Papa de cria acabada de preparar

Papa de cria acabada de preparar

Necessitamos de papa de crescimento rápido para alimentar papagaios ou pequenos psitacídeos, pois são as mais completas que existem no mercado (existem várias marcas), uma seringa, uma agulha de alimentar, uma pequena taça e uma colher de café.

A preparação da papa de criação é feita através da adição de água fervida. As proporções das medidas dependem da idade da ave a alimentar, quanto mais nova, mais líquida deverá ser a mistura, que irá engrossando à medida que a ave for crescendo.

No início deveremos seguir com muito cuidado todas as indicações, misturando a água fervida com o pó, desfazendo todos os grânulos que eventualmente se formarão, mexendo tudo muito bem e aguardando que a mistura preparada atinja a temperatura de aproximadamente 36 a 39 graus. Após que atingida esta temperatura introduzimos a mistura na seringa e começamos a fornecer a mesma à ave, tendo muita atenção na introdução da seringa, sempre da esquerda para a direita da ave, para que a seringa entre no papo e não no sistema respiratório da ave, podendo morrer asfixiada.

Detalhe da agulha de alimentar,

da esquerda para a direita.

Sempre que alimentarmos a nossa ave, devemos preparar uma papa nova, em virtude desta se estragar muito rapidamente. Por essa razão só devemos preparar a papa necessária para alimentar. Devemos dar pequenas quantidades e várias vezes por dia, à semelhança dos pais caso as tivessem a alimentar. Nunca devemos encher demasiado o papo da ave, pois se assim for, existe a possibilidade de ela vomitar e a papa entrar para os pulmões, asfixiando-a.

Outro caso que pode surguir, no caso fornecermos mais comida do que a necessária, é a fermentação e a acidificação do comer no papo da ave (formando uma bola mais ou menos dura), não digerível e que leva a ave a morrer à fome. Assim, devemos fornecer o alimento que a ave consiga digerir no prazo de 3 horas, de acordo com a idade e o tamanho da mesma.

A partir dos 30 dias começaremos a espaçar mais o tempo de administração da papa, no sentido de incentivar o jovem periquito a comer sozinho, fornecendo papa de ovo, legumes ou ervas e milho painço.

Este site utiliza cookies com objetivo de melhorar a sua utilização. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização.