Problemas com o calor extremo

Autor: Bob Wilson

Publicação: 23-03-2018

No ano de 2016, nos meses de Verão no Hemisfério Norte, tivemos inúmeros posts no nosso grupo do Facebook de periquitos de exposição, tal como muitos e-mails e mensagens, com perguntas relacionadas com problemas de periquitos durante os meses de verão de calor mais intenso.

Muitos criadores perderam pássaros e outros relataram doenças em comum.

Embora o tempo aqui no Missouri durante o verão fique muito quente e húmido, eu ainda não tive este tipo de problemas. Nesse sentido, decidi entrar em contacto com criadores de topo de diferentes países, onde este tipo de temperaturas extremas é mais comum.

As respostas dos criadores da Austrália, EUA, Inglaterra e África do Sul foram interessantes. Todos esses criadores, detentores de mais experiência, tiveram comentários semelhantes.

Apesar das temperaturas extremamente altas no verão, e na maioria dos casos de humidade muito alta, nenhum deles estava a perder aves derivado a essas condições. De facto, uma realidade comum entre eles incidia na boa forma das suas aves, não existindo nenhum sinal de doença nas suas aves.

Nas palavras do meu amigo veterinário, doutor Mohamed Hegab, do Egito: “Se você está a ter problemas com os seus pássaros e quer saber a causa, o primeiro passo é olhar para o espelho.”

Todos os principais criadores contactados deram sugestões sobre possíveis causas para as perdas e doenças de aves durante o tempo quente.

Reserve um tempo para ler o que se segue e para verificar se alguma das situações se aplica a si.

Onde estão as suas aves?

Espaço interior:

Se as suas aves forem mantidas no interior, certifique-se de que existe uma boa ventilação para fornecer circulação de ar fresco. Pode ser usado um ventilador para garantir que o ar circula. Recomenda-se a utilização de um exaustor para remover o ar “sujo” com poeira e penas do aviário.

Espaço Exterior:

Se as suas aves forem mantidas em gaiolas ou voadeiras externas, verifique se elas estão numa área com sombra. Os periquitos, ou quaisquer outras aves, permanecem na sombra nas horas mais quentes do dia.

A exposição direta constante à luz solar direta sujeita as aves ao calor máximo e levará à sua desidratação e possível morte.

As voadeiras externas devem ter um teto para fornecer o máximo de sombra para as aves. O teto deve ser isolado, se possível, para as aves se protegerem debaixo dele do calor extremo. Certifique-se de que os poleiros estão a uma boa distância sob o telhado, de modo a que os pássaros estejam longe do calor irradiado pelo teto.

Descanse as suas aves:

Aves devem descansar nas voadeiras durante os meses quentes de verão. Nunca reproduza durante esse tempo, ou faça qualquer outra coisa que possa stressar os pássaros.

Molhe / borrife as suas aves:

Pulverize levemente seus pássaros 2-3 vezes ao dia. Dê bastante tempo para eles secarem completamente antes da noite.

Não administrar antibióticos como precaução contra os “problemas de saúde do verão”:

O uso excessivo de antibióticos, ou medicamentos não prescritos por um veterinário, é uma das principais causas de doenças nos periquitos. Antibióticos podem matar a flora intestinal indesejada, mas também destroem a que se encontra saudável, deixando os pássaros fracos e sem resistência natural para combater doenças ou eventuais infeções.

Utilize remédios naturais:

É muito melhor solução adicionar sumo de limão, vinagre de cidra de maçã e probióticos à água em semanas alternadas. Isso manterá a flora intestinal equilibrada e ajudará a aumentar a sua resistência natural.

Ofereça uma alimentação de sementes simples – dieta:

A maioria dos criadores oferece uma dieta de sementes simples durante o tempo quente. Uma boa mistura de alpista, diferentes variedades de painço, aveias, e talvez algumas sementes tónicas.

Vegetais e frutas:

Forneça legumes e frutas frescas, mas em quantidades limitadas. Ofereça apenas o suficiente para ser consumido em algumas horas. Qualquer remanescente após duas horas deve ser removido antes de se começar a estragar e poder causar problemas digestivos.

Sementes humedecidas e papas caseiras:

A maioria dos criadores não fornece este tipo de alimentação às suas aves durante os meses mais quentes, já que existe uma maior probabilidade para o crescimento de fungos nesse tipo de alimentos, que podem causar problemas de saúde para as aves.

Água:

Água limpa deve estar sempre disponível.

Mude a água diariamente.

Não use recipientes abertos ou pratos para beber água. Os excrementos de um pássaro na água durante o tempo quente, em poucos minutos a transformarão numa sopa de bactérias, infetando quaisquer outras aves que bebam dela.

Sempre que possível, use bebedouros em tubo/ contentores de água, de forma que as aves não a consigam sujar.

Nunca coloque recipientes de água diretamente debaixo de poleiros.

Garrafas de água congelada:

Uma ótima ideia aplicada pelo criador australiano Mark Hawke passa por congelar garrafas de água e colocá-las nas voadeiras. Quando a água descongela, a condensação forma-se do lado de fora das mesmas, e as aves bebem-na.

Em conclusão:

Todos os criadores que se envolveram com esta questão sentiram que o calor e a humidade, por si só, não eram a causa da morte dos periquitos ou das doenças associadas. Acreditam ser mais provável que esses criadores estejam a perder aves por motivos de insuficiência de alguns elementos inerentes à adequada gestão do aviário ou mesmo pela presença de comida estragada.

Este site utiliza cookies com objetivo de melhorar a sua utilização. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização.